Usamos cookies neste site para melhorar a sua experiência enquanto utilizador.

Ao continuar a navegar no nosso site está a consentir a sua utilização.

Portugal

Queratoconjuntivite Infecciosa Bovina (IBK)

Resumo

A queratoconjuntivite infecciosa bovina é uma doença ocular contagiosa que afecta principalmente os vitelos, provocada essencialmente pela bactéria Moraxella bovis. Esta doença pode levar, na sua evolução, à perda permanente de visão.

O período de incubação é geralmente de 2 a 3 dias, sendo o primeiro sinal clínico uma pequena área opaca na superfície ocular (córnea). 

A Moraxella bovis é o agente causal que melhor se conhece.

  • Outros agentes bacterianos relacionados com a Moraxella bovis, como a M. ovis (anteriormente designada Branhamella ovis) e M. bovoculi têm sido isolados de casos clínicos de IBK.
  • Mycoplasma spp., Acholeplasma, Chlamydia, herpesvírus bovino I (IBR) e adenovírus bovino fazem parte dos agentes microbianos que podem predispor à colonização por Moraxella ou que podem aumentar a gravidade da IBK.
  • Mycoplasma bovis pode provocar infecções oculares semelhantes às provocadas por Moraxella bovis.

Os factores  físicos lesivos para os olhos, tais como moscas, pó, vento, luz solar e fragmentos vegetais secos  também são factores predisponentes para a IBK. As moscas são consideradas vectores comuns na transmissão da IBK entre os bovinos, e os surtos são comuns durante o Verão.

Sintomas

Os sintomas de IBK variam desde congestão ocular ligeira até uma inflamação necrosante severa, a qual pode levar a uma cicatriz permanente e perda de visão. Os animais afectados por IBK podem ter febre e dor e, em consequência, manifestarem diminuição do apetite.

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito com base nos sinais clínicos (inflamação ou opacidade parcial da córnea) e epidemiológicos. Em alguns casos pode ser útil recorrer a confirmação laboratorial.

Tratamento

Os animais com IBK devem ser tratados o mais cedo possível a fim de reduzir a transmissão a outros animais, minimizar as lesões e reduzir o risco de perdas permanentes de visão

- Tanto a Moraxella bovis como a Moraxella ovis (anteriormente designada Branhamella ovis) são susceptíveis a vários anti-infecciosos

- Tratamento sistémico

- Tratamento local

Prevenção

As medidas preventivas incluem o controlo das moscas com repelentes de insectos, minimização das poeiras do feno e ração, disponibilização de sombras e, indirectamente, a imunização dos animais contra infecções virais tais como a rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR) e a diarreia viral bovina (BVD). 

Impacto económico

Apesar da IBK não ser uma doença fatal, tem custos económicos associados a atrasos do crescimento , produção de leite reduzida, desvalorização dos animais afectados e custos de tratamento. 

Contacto

Lagoas Park
Edificio 10
2740-271, Porto Salvo
Tel: 21 0427200