Usamos cookies neste site para melhorar a sua experiência enquanto utilizador.

Ao continuar a navegar no nosso site está a consentir a sua utilização.

Portugal

Raiva

Resumo

A raiva é uma doença viral fatal que afecta os animais de sangue quente, incluindo os humanos. A infecção ocorre por mordedura de um animal afectado. O vírus provoca uma inflamação do cérebro (encefalite aguda). Não existe tratamento, sendo o resultado fatal. A raiva é uma doença de notificação obrigatória. 

Causa

O vírus da raiva é um vírus RNA da família Rhabdoviridae, do Género Lyssavirus. A transmissão é feita através de uma mordedura de um animal infectado. Uma vez no organismo, o vírus replica-se localmente e é disseminado através do sistema nervoso periférico, chegando assim ao cérebro. Numa segunda fase de multiplicação, o vírus dissemina-se através dos nervos craniais e do sistema nervoso periférico até às glândulas salivares, onde permanece em concentrações elevadas na saliva. No cérebro o vírus provoca uma inflamação (encefalite). A excreção viral pela saliva geralmente não começa antes dos 5 a 10 dias. O período de incubação varia de 2 a 24 semanas, desde a infecção até ao aparecimento de sintomas. Qualquer animal de sangue quente (domésticos ou silvestres) pode ser afectado. 

Sintomas

Os sintomas resultam de uma inflamação do cérebro (encefalite) provocada pelo vírus da raiva.

Raiva Canina

Há três fases distintas: 
1ª: Fase Podrómica:

  • Alterações no comportamento do animal

2ª: Fase Furiosa:

  • Alterações na voz, dificuldade na deglutição, nervosismo
  • Alterações de comportamento, agressividade, hiperexcitabilidade e hiperestesia
  • Paralisia dos membros posteriores ou mandíbulas
  • Ataxia e convulsões, seguindo-se a morte

3ª:Fase Paralítica:

  • Paralisia: Morte em 2 a 3 dias (provocada por paralisia do sistema respiratório)

Raiva Felina

  • O animal torna-se irritável e morde ferozmente
  • Progressão para paralisia e encefalite
  • Morte em 3 dias, após o início dos sintomas

Diagnóstico

Através da história pregressa (uma mordedura recente de outro animal) e com base nos sintomas, o médico veterinário pode chegar a um diagnóstico suspeito de raiva. Os mesmos sinais clínicos podem estar presentes noutras formas de inflamação do cérebro (encefalite). O diagnóstico só pode ser confirmado pelo exame pos-mortem, com testes laboratoriais para detecção do vírus da raiva no cérebro.

Tratamento

Não existe tratamento, sendo a infecção fatal. Devido ao risco de saúde pública, os animais suspeitos de infecção devem ser eutanasiados, a fim de minimizar o risco de futuras transmissões.

Prevenção

  • A vacinação é uma medida eficaz para prevenir a infecção. Existem vacinas disponíveis para cães e gatos.

Outras medidas de controlo:

  • Controlar a circulação de animais vadios
  • Vigiar, durante 15 dias, todos os animais que morderam outros
  • As políticas nacionais variam de país para país, e podem incluir a eutanásia de animais que contactaram com os animais infectados, com possível excepção dos vacinados, identificados por microchip
  • Redução dos mamíferos omnívoros (raposas), que são reservatórios do vírus da raiva, e vacinação oral

Qualquer departamento onde for identificado um novo caso de raiva, deve entrar na lista dos departamentos declarados como sendo infectado por raiva. Nestes, todos os carnívoros domésticos e equinos em contacto com humanos devem ser vacinados

 

Contacto

Lagoas Park
Edificio 10
2740-271, Porto Salvo
Tel: 21 0427200