Usamos cookies neste site para melhorar a sua experiência enquanto utilizador.

Ao continuar a navegar no nosso site está a consentir a sua utilização.

Portugal

Gripe Felina

Resumo

A gripe felina é frequente em gatos. É uma doença respiratória altamente contagiosa e ocasionalmente fatal. Muitas vezes torna-se crónica e os gatos ficam com problemas de saúde permanentes. 

Causas

A gripe felina caracteriza-se por sintomas respiratórios e corrimento ocular e/ou nasal.

As principais causas da infecção são o herpesvírus felino (HVF) e o calicivírus felino (CVF). Estas bactérias têm distribuição mundial. Afectam não só os gatos como também outros membros da família felina. Existem diferentes estirpes de calicivírus que variam bastante na sua capacidade de provocar doença, na severidade e nos sintomas que provocam. Recentemente foram descobertas estirpes muito virulentas de calicivírus que afectam o organismo todo do animal, podendo levar à sua morte.

Os vírus da gripe disseminam-se muito rapidamente pelas gotículas de ar quando o gato espirra e através do corrimento ocular e nasal. A transmissão pode ser directa através de um gato infectado, do vestuário das pessoas ou quando os gatos esfregam a face. A maior parte dos gatos que recupera, tornam-se portadores e excretam o vírus apesar de não exibirem sintomas, sendo por isso uma fonte de infecção para outros gatos. Após a recuperação do gato, o CVF é excretado continuamente, mas durante um curto período de tempo. Por outro lado, a excreção do HVF é intermitente e está associada a períodos de stress, no entanto os gatos mantêm-se portadores para toda a vida.

Apesar dos vírus serem facilmente eliminados com desinfectantes, podem permanecer activos cerca de uma semana no corrimento nasal/ocular. Os vírus disseminam-se muito rapidamente entre os gatos, representando uma autêntica ameaça em gatis, onde poderão ser muito difíceis de erradicar.

Sintomas

Gripe Clássica

Os gatos jovens são os mais afectados. A maior parte dos casos começa com espirros.

Sinais clínicos: 

  • Febre
  • Perda de apetite
  • Apatia
  • Corrimento ocular e nasal
  • Úlceras na cavidade bucal (principalmente o CVF)
  • Hipersalivação

No caso de infecção bacteriana secundária:

  • Corrimento nasal copioso, espesso e opaco, que pode obstruir as narinas formando uma crosta
  • Sintomas respiratórios adicionais

Resultado

A maior parte dos gatos recupera relativamente bem com um tratamento adequado. No entanto, em alguns gatos, os problemas podem persistir. 

Em gatos com infecção ocular crónica, é comum permanecerem sintomas de sinusite e corrimento ocular/nasal. Os gatos portadores poderão voltar a apresentar sintomas leves.

Diagnóstico

Diagnóstico clínico

  • A gripe felina clássica é facilmente diagnosticada com base nos sinais clínicos e história pregressa.

Testes de diagnóstico

O vírus é facilmente identificado através de testeslaboratoriaisaos fluidos corporais (olhos, boca, sangue). 

Tratamento

A principal causa de gripe felina é de origem viral e não existe tratamento disponível. O tratamento é apenas de suporte, cujo objectivo é debelar uma infecção bacteriana secundária que se tenha instalado.

  • Tratamento antibiótico para controlar as infecções bacterianas secundárias
  • Fluidoterapia se o animal estiver desidratado
  • Medicação para controlar os sintomas (corrimento nasal, líquido nos pulmões, sinusite)
  • Os cuidados intensivos são essenciais para uma boa recuperação. O corrimento nasal deve ser controlado, as narinas desobstruídas e as pálpebras mantidas abertas. A cavidade bucal deve ser mantida limpa o mais possível.
  • Gatos com dor na cavidade bucal, devem ser alimentados com uma dieta especial
  • Anti-inflamatórios

Gatos infectados e gatos que contactaram com estes devem ser isolados dos gatos susceptíveis. É importante tomar algumas medidas de higiene (as pessoas que manipulam os animais devem desinfectar-se e mudar de roupa) a fim de evitar a disseminação da infecção.

Prevenção

A prevenção baseia-se na vacinação. O componente da gripe felina está sempre incluído na primovacinação e por vezes na revacinação anual. Todos os gatos mantidos no mesmo ambiente devem ser vacinados.

A vacinação ajuda a reduzir a severidade da doença.

O médico veterinário irá aconselhar o melhor programa de vacinação adequado a cada caso. 

É obrigatório ter a vacinação actualizada antes dos concursos e quando os animais vão para gatis.  

 

Contacto

Lagoas Park
Edificio 10
2740-271, Porto Salvo
Tel: 21 0427200