Usamos cookies neste site para melhorar a sua experiência enquanto utilizador.

Ao continuar a navegar no nosso site está a consentir a sua utilização.

Portugal

Abcessos e outras infecções

Resumo

É comum ocorrerem abcessos dolorosos resultantes das lutas entre gatos. O tratamento passa por lancetar, drenar o abcesso e administrar antibióticos.  

Infecção de pele Resumo

A pele forma a camada externa do corpo, protegendo-o contra as agressões do meio ambiente. Estas incluem calor/frio, humidade/seca, toxinas químicas, lesões mecânicas, luz solar e uma série de possíveis agentes agressores tais como bactérias, fungos, leveduras, ácaros, insectos e vírus.

 

As infecções de pele bacterianas mais comuns em gatos são os abcessos.

Abcessos

Um abcesso consiste no desenvolvimento e acumulação de pus nas camadas mais profundas da pele. Geralmente resulta de uma mordedura de outro gato. Uma grande variedade de bactérias (Pasteurella multocida, Fusobacterium spp., Bacteroides spp., Prevotella oralis, β haemolytic Streptococci e/ou Staphylococcus pseudintermedius) presentes nos dentes do gato agressor ou de outro objecto que provocou a ferida, multiplicam-se e formam um abcesso. Durante 2 a 3 dias, o tecido local apresenta-se infectado e inflamado. O pus reconhece-se como um fluido espesso normalmente de cor amarela tingida de vermelho e/ou verde.

Inicialmente o pus distribui-se pelo tecido infectado, concentrando-se depois no centro da lesão. Quando o abcesso “amadurece”, pode rebentar e expulsar o pus. Por vezes é necessária cirurgia para abrir a ferida e assegurar uma drenagem completa.

Por vezes, um objecto penetrante, tal como um pedaço de unha, permanece no centro do abcesso, sendo geralmente descarregado com o pus. Caso não o seja, terá de ser removido para permitir a cura completa. É comum observar-se um canal que expulsa pequenas quantidades de pus para o exterior.

Outras infecções de pele

As lutas são comuns entre os gatos  e como tal é comum ocorrerem arranhões e mordeduras. Geralmente os gatos conseguem sarar rapidamente estas feridas, mas se o seu sistema imunitário estiver comprometido, devido a leucemia por exemplo (ler mais) podem-se desenvolver infecções bacterianas crónicas. Estas infecções podem também ocorrer se estiverem presentes bactérias agressivas ou certos fungos ou se o gato estiver constantemente a lesionar a ferida.

As micoses são infecções fúngicas de pele bastante comuns em gatos. Os humanos podem infectar-se através do contacto directo com gatos previamente infectados.

Sintomas

Abcessos:

  • Tipicamente, o abcesso tem uma forma cónica, semelhante a um vulcão
  • Dor na área infectada (geralmente um membro ou a base da cauda)
  • Calor
  • Perda de pêlo no centro
  • Diz-se que um abcesso está “maduro” quando está quase a rebentar
  • Inchaço duro, tornando-se mais mole no centro quando o abcesso fica maduro
  • Perda de pêlo no centro e coloração roxa da pele quando está maduro
  • Descarga de pus da cavidade central, com perda de tecido morto circundante
  • Em infecções crónicas, a descarga pode ocorrer em várias aberturas
  • O gato pode apresentar febre e mal-estar
  • Após o abcesso rebentar e o pus sair, geralmente os tecidos reduzem de tamanho e cicatrizam rapidamente. Noutros casos a infecção pode prolongar-se durante dias, semanas ou mesmo meses tentando o organismo cercar a infecção com tecido fibroso.

Outras infecções:

  • Micoses (infecção fúngica). Observam-se zonas com pêlo danificado ou zonas de alopécia e crostas. 

Diagnóstico

Um abcesso é rapidamente diagnosticado pois o animal exibe dor, calor e inflamação.

Contudo, é necessário que o médico veterinário descubra a causa do abcesso e principalmente se está presente algum corpo estranho.

Podem ser necessários testes laboratoriais a fim de determinar o tipo de bactéria presente e a sua sensibilidade antibiótica, sendo importante em infecções bacterianas crónicas.

Podem também ser diagnosticadas infecções fúngicas através de cultura de pêlos ou tecidos. 

Tratamento

Infecção bacteriana: Abcessos e infecções de pele crónicas

  • Lancetar e drenar o abcesso, depois de “maduro”.
  • Remoção de algum corpo estranho que possa estar presente.
  • Em infecções crónicas, pode ser necessária a remoção cirúrgica de tecido lesionado.
  • Antibióticos. Para um abcesso simples, a administração de antibióticos pode ser sistémica e/ou oral durante alguns dias. No entanto, em infecções crónicas ou abcessos complexos, pode ser necessária uma administração prolongada de antibióticos durante várias semanas. O médico veterinário irá seleccionar o antibiótico apropriado e a duração do tratamento.
  • Uma das razões mais comuns para falha no tratamento antibiótico é o não cumprimento da administração das doses adequadas e da duração do tratamento. Muitas vezes é difícil administrar comprimidos a gatos. Uma única administração com duração de acção de 14 dias é suficiente e garante que o gato recebe o tratamento antibiótico necessário.

Micoses

Pode ser necessária a administração oral com anti-fúngicos durante várias semanas, possivelmente em conjunto com a remoção da área afectada e aplicação de tratamento tópico ou champôs. O tratamento deve ser feito a todos os gatos que habitem no mesmo sítio. 

Prevenção

O tratamento precoce das infecções previne alterações permanentes que possam ocorrer na pele, pois assegura que um abcesso não progrida para uma infecção bacteriana crónica que é difícil de tratar.

A maioria das lutas entre gatos, que são a causa principal de abcessos, acontece durante a noite. Mantenha o gato dentro de casa quando anoitecer.

Produto(s) em destaque

Convenia, Synulox

Contacto

Lagoas Park
Edificio 10
2740-271, Porto Salvo
Tel: 21 0427200